Controle de Pragas em Hospitais

Controle de pragas em hospitais

Execução do controle de pragas em hospitais públicos e privados com o objetivo de combater as pragas urbanas, bactérias, fungos, vírus e microrganismos que carregam para os ambientes, através do controle hospitalar de forma eficiente por meio de métodos para a devida tranquilidade dos pacientes internados que possuem baixa imunidade e estão aptos a contrair infecções facilmente ou que estão em tratamento intensivo como familiares e também os próprios médicos e funcionários que trabalham diariamente nestes locais prevenindo inúmeras doenças transmitidas. O controle destas pragas em ambientes hospitalares é de extrema importância e requer cuidados minuciosos, devido a isso, a Hidrosaki através de sua experiência adquirida ao longo dos anos, possui uma equipe focada para pronto atendimento nas instituições da área da saúde, sendo o PHH – Programa Hidrosaki Hospitalar onde é executado através de 3 (três) fases com tratamentos preventivos e corretivos com produtos de primeira linha sem toxidade, tudo conforme as normas, resoluções, licenças e leis vigentes do órgão competente ANVISA - agência de vigilância sanitária.

As fases para um controle eficaz contra as pragas urbanas nos hospitais.

Ambientes vistoriados para o controle adequado no hospital

A primeira fase consiste em um técnico especializado na área específica do programa para vistoriar os locais minuciosamente de forma eficaz, analisando todos os tipos de pragas que habitam no local, levantamento do grau de infestação (pontuação de 0 a 10), descriminando, que tipo de espécie e problemas gerados, índice populacional e outros detalhes para diagnóstico favorável com o controle preventivo e corretivo para risco zero de contaminação com emissão de relatórios de vistoria.

Controle com tratamento específico para o extermínio das pragas nos hospitais

A segunda fase consiste nos dados vistoriados pelo técnico e início do controle hospitalar de forma adequada para o extermínio de cada praga habitada nestes locais e sistemas de tratamentos específicos direcionados como higienização, pulverizações e atomizações para a eliminação de bactérias, fungos e vírus com emissão de relatórios de aplicação.

Controle monitorado de pragas nos hospitais

A terceira fase consiste no monitoramento que é executado após o controle para monitorar todas as áreas que eram afetadas anteriormente com emissão de relatórios de mapeamento conforme contrato firmado com a administração do hospital, executado quinzenalmente ou mensalmente conforme o combinado.

Observação importante sobre o controle

É importante dizer que todo o processo de um controle eficaz variam de acordo com o tamanho do hospital e pragas identificadas, seja de pequeno, médio ou grande porte para o diagnóstico correto e essencial realizado através dos profissionais qualificados do programa com emissão de certificado de garantia, laudo técnico com registro e OS (Ordem de serviço executada).

Formas de combater a proliferação das pragas através de um controle preventivo e corretivo eficazes nos hospitais municipais, estaduais, federais e particulares

Os controles hospitalares são executados com ações preventivas e corretivas conforme os hospitais vistoriados e leis vigentes;

Controle com ações preventivas em hospitais em geral

As ações preventivas tem como objetivo controlar, ou seja, administrar o local que era habitado pela praga através dos tratamentos para garantir a saúde e segurança do local, tudo conforme as resoluções e leis da ANVISA.

Controle com ações corretivas em hospitais em geral

As ações corretivas tem como objetivo corrigir as pragas e bactérias do ambiente através de um controle eficiente eliminando as pragas e possíveis proliferações das espécies que vivem com os devidos tratamentos direcionadas para cada praga, evitando-se o contágio de bactérias, microrganismos, vírus e entre outros que possam acontecer, como prejuízos materiais e financeiros para as instituições.

Tipos de tratamentos e sistemas eficientes para o controle

Os tratamentos dependem da identificação da espécie da praga e do local habitado a ser executado, como pó químico fino e sem cheiro, repelentes a base de gel sem química e odor.

Controle com diversos tratamentos eficazes através de sistemas, tais como;

  • Sistema com placa adesiva com porta isca nos locais para a segurança contendo lacre de proteção e identificação, utilizado em alguns ambientes.
  • Sistema com caixa contendo placa adesiva interna para controle populacional específico para de baratas, identificadas e lacradas.
  • Sistema de isca ingerível específico para ratos no geral instalados em locais úmidos e também molhados sem cheiro, utilizados nas tubulações de rede esgoto, galerias, caixas de inspeção, redes pluviais, grelhas, lixeiras e entre outros.
  • Sistema de barreiras físicas com inserção de telas, espículas e estirantes para o fechamento do local a ser tratado específico para pombos urbanos, impedindo o retorno ao local e criação de novos ninhos.
  • Sistema de injeção de cupinicida aplicado com o bico injetor específico para tratamentos de cupins.

Controles com tratamentos através de armadilhas, tais como;

  • Dispomos 2 (dois) sistemas de armadilhas com porta isca para prender a praga, sendo, 1 (um) modelo que não é utilizado produtos químicos e outro modelo que não há a utilização de produtos líquidos químicos.
  • Sistemas de armadilhas luminosas com luzes especiais sinalizadas com etiquetas contendo: nome da empresa e datas do controle.
  • As armadinhas possuem placas indicativas devidamente identificadas com setas para a sinalização das áreas controladas.

Demais controles eficientes;

Pulverizações para eliminação de bactérias, fungos, microrganismos do ambiente.

Higienizações para o extermínio total de bactérias nos ambientes que possuem alto grau de infestação (realizado conforme as orientações e vistorias do técnico).

Atomizações para a esterilização total das áreas afetadas pelas pragas que tem como objetivo transformar o produto químico em partículas finas que possibilitam a penetração em vãos e frestas imperceptíveis ao olho nu, tratamento recomendado!

Como é calculado o grau de infestação destas pragas nos hospitais?

Cálculo de grau de infestação de pragas urbanas nos hospitais

O cálculo do grau de infestação de pragas nos ambientes consiste na primeira fase vistoriada pelo técnico que descrimina: tipo de praga que habita no local e problemas gerados em uma escala de 0 á 10 como explicaremos abaixo;

Supomos uma escala de 3 pontos, significa que a área total atingida pela praga é de 30% de grau de infestação, desta forma, concluímos que 30% corresponde as ações corretivas e 70%, ações preventivas, e assim sucessivamente conforme o estabelecimento.

Para o devido cálculo de área, digamos que o hospital tem uma área total de 1000 m² (Mil metros quadrados) incluso todas as áreas internas e externas vistoriadas pelos técnicos, descrevendo todos os tipos de praga presentes e seus problemas gerados, sendo assim, no final é totalizado as metragens quadradas correspondentes, subtraindo da área total, resultando-se o valor real da escala do grau da infestação.

Vale lembrar que o valor real está incluso todas as pragas urbanas que necessitam de um controle efetivo nestas instituições de saúde, como, baratas, formigas, mosquitos, moscas, ratos, cupins, brocas de madeira, carrapatos, percevejos, pulgas, pombos e entre outros que podem surgir.

As indesejáveis pragas que circulam nos ambientes hospitalares e o risco que trazem para a saúde de todos

A pragas urbanas que residem e necessitam de um controle hospitalar

As pragas urbanas além de serem indesejáveis transitam em ambientes internos e externos e são consideradas animais Sinantrópicos, ou seja, insetos terrestres, voadores e roedores que estão habituados em viver juntamente com o ser humano, adaptam em qualquer ambiente e se propagam com uma grande escala populacional desordenado e trazem um enorme risco de contaminação e doenças, tais como;

As baratas no geral seja de esgoto (Periplaneta americana) ou francesinhas (Blatella germânica), trazem um grande risco para nós, principalmente nos hospitais que lidam com a saúde dos pacientes por se tratarem de transmissão de bactérias e micróbios que geram doenças ligadas as infecções intestinais, lepra, hepatite e entre outras.

Existem variadas espécies de formigas que algumas são consideradas doméstica, vivem em colônias como os cupins, organizadas com rainhas, operários e soldados, passíveis de transmissão de diversas doenças devido a sua locomoção contaminando e trazendo variadas bactérias presentes que causam alergias, intoxicação por salmonela, hepatite A e Poliomielite e entre outras.

Os pernilongos comuns são os mosquitos de diversas espécies e tamanhos, ou seja, os domésticos, o pernilongo da Dengue com o nome científico Aedes Aegypti é um mosquito que se diferencia dos outros por possuir pequenas manchas brancas nas pernas que transmitem o vírus da Dengue, Chikungunya e Zika vírus, as demais espécies de pernilongos causam diversas doenças, como leishmaniose visceral, febre amarela, malária e entre outras.

Os roedores comumente são classificados em 3 (três) tipos, sendo as ratazanas, camundongos e os ratos de telhado, causam doenças transmissíveis e perigosa a nossa saúde, transmitem a leptospirose que conhecemos, a peste bubônica que já levou a morte milhares de pessoas no passado e entre outras.

Classificamos as moscas no geral sendo: esgoto, frutas, enxame, varejeira e as domésticas que são diversas espécies conhecidas popularmente, trazem inúmeras doenças e bactérias contagiosas transmitindo doenças, como salmonelose (infecção devida às salmonelas) cólera, diarreia, conjuntivite, e entre outros.

Os pombos urbanos são aves que se acostumaram em viver entre os humanos que infelizmente se alimentam de restos de comida e lixos orgânicos, desta forma, tornaram-se uma grande ameaça à saúde com alto índice de propagação da espécie, contaminando e transmitindo inúmeras doenças, como a Salmonelose, Dermatites, alergias, Ornitose e entre outras.

Percevejo de cama, colchão ou leito é um parasita hospedeiro que possuem formatos ovalizados com cores acastanhas, sendo um inseto hematófago que se alimenta de sangue. Não há registros sobre doenças contagiosas, entretanto, por ser tratar de um inseto que suga sangue podem transmitir bactérias que causam a doença de chagas.

Os cupins mais comumente são classificados em 2 (dois) tipos, os cupins de madeira seca, os cupins de solo, ambos chegam ao seu destino de forma alada para a proliferação e formação de colônias organizadas em sua hierarquia com rainhas, operários e seus soldados, sempre com ênfase em extrair a sua alimentação nos ambientes, depredando o solo, madeiras, móveis e entre outros e são extremamente considerados um grande risco ambiental.

As brocas de madeira são pequenos besouros que vivem independentes uns dos outros, depredam madeiras, papelão e outros materiais, muitas vezes são confundidos com cupins devida a sua atividade de extrair alimentos destes materiais e se diferenciam através de um pó fino como fosse um pó de talco nos ambientes.

Existem 3 (três) tipos de pulgas sendo: as pulgas encontradas em animais de estimação como cachorros e gatos, a pulga do rato e o bicho-de-pé que é considerada pulga encontrada em locais arenosos. Atuam como parasitas e transmitem doenças intestinais e infecções, e vale ressaltar que a pulga que vem dos roedores podem atacar o homem e transmitem a peste bubônica, e outras doenças perigosas e fatais.

Existem inúmeras espécies de carrapatos que atuam como parasitas e se alimentam de sangue, transmite a doença de Lyme causada por bactéria com sintomas parecidas da gripe que é tratável e gostam de animais domésticos, como cães, gatos e até pássaros.

Estas pragas fazem parte do grupo de risco com maior incidências nestes ambientes, devido a transmissão e contagio em pacientes com baixa imunidade e propícios para adquirirem diversas doenças contagiosas, também é importante informar que qualquer praga é considerada um ser vivo que necessita de alimento e abrigo para sobreviver e se proliferar, portanto, o controle nestas instituições hospitalares é imprescindível.

10 Dicas essenciais para evitar a propagação de pragas hospitalares

Dicas essenciais para evitar a propagação das pragas hospitalares

Faça inspeção nas áreas comuns, como grelhas de água pluvial, ralos, tubulações e caixas de inspeção.

Mantenha as lixeiras com a tampa fechada.

Nos jardins, não deixe água parada em vasos e garrafas.

Não deixe as caixas d’água com a tampa aberta.

Não acumule lixo hospitalar em forma de entulho.

Evite alimentar os pombos com resto de comida perto de lanchonetes, pois estas aves parecem ser inofensivas e trazem inúmeras doenças as pessoas e prejuízos materiais.

Mantenha limpo locais como cozinha e depósito, onde há armazenamento de alimentos e fique atento as mercadorias transportadas que podem trazer diversas pragas ao ambiente.

Não deixe os locais sujos com resíduos farináceos e gorduras e entre outros.

Deixe as paredes vedadas, sem frestas e vãos.

Não deixe ambientes fechados sem renovação do ar, pois estes locais são úmidos e propícios para a proliferação de cupins que é um grande risco ambiental.

Cuidados extremos com a limpeza em locais onde se tem maior concentração de fluxo de pacientes internados.

Mantenha em dia todos os ambientes sem infiltrações e limpos.

A incidências destas pragas urbanas acontecem com maior frequência devido ao descuido dos hospitais e falta de contratação de empresas especializadas, pois nestes ambientes hospitalares, é de extrema importância a limpeza e higienização, portanto é imprescindível que tenha um contrato firmado com uma empresa responsável na área de controle hospitalar para a saúde dos pacientes e de todos, então essa é a dica, sempre em alerta!

Programa hospitalar da Hidrosaki

PHH - Programa Hidrosaki de controle hospitalar

O programa da Hidrosaki foi criado para atender a demanda dos serviços nos hospitais com técnicos e biólogos especializados no controle de pragas de acordo com tempo, foi notado a necessidade dos mesmos profissionais voltados especificamente nas áreas hospitalares, portanto, desta forma, desenvolvemos divisões internas na empresa qualificando os profissionais somente para atender as instituições de saúde.

PHH – Programa Hidrosaki Hospitalar tem como objetivo controlar e exterminar as pragas e bactérias em geral nos hospitais com embasamento no CIP - Controle Integrado de Pragas, conforme normas e leis da ANVISA, proporcionando um atendimento mais rápido e específico para o ramo de atividades em questão.

O programa traz diversos benefícios, atende à demanda de qualquer hospital de pequeno, médio ou grande porte com um grande diferencial.

Produtos de primeira linha antialérgicos, sem toxidade e odor utilizados nos tratamentos para o controle

O serviço pode ser realizado normalmente com o fluxo de pessoas diárias, devido a utilização de produtos secos, sem odor e antialérgicos.

Hospitais que atuamos com o controle e resoluções da ANVISA

Atuamos com o serviço nos hospitais públicos, municipais, estaduais, federais e particulares como, UBS- unidade básica de saúde, posto de saúde, policlínicas, prontos socorros, UTI´S, berçários e hospitais conforme especialidades em questão.

Resoluções para o controle ANVISA

Os serviços estão de acordo com todos os procedimentos e requisitos conforme o órgão competente da ANVISA - Agência nacional de vigilância sanitária, conforme e .

Equipamentos para o controle regulamentado conforme as resoluções da ANVISA e normas hospitalares

Os equipamentos utilizados em nossos serviços, são regulamentados conforme as normas e resoluções da agencia sanitária, tais como;

Equipamentos em alto performance com maior durabilidade.

Aplicadores de pó químico com acessos em vãos e frestas.

Pulverizadores elétricos.

Equipamentos com baterias recarregáveis.

Pistolas para inseticidas com regulagens.

Nebulizadores utilizados em ambientes fechados, e locais pequenos.

Atomizadores utilizados nas áreas externas comuns.

Equipamentos leves e compactos em alta compressão.

Considerações finais

Controle de pragas em hospitais públicos e particulares

O controle de pragas em ambiente hospitalar é executado através do programa elaborado pela empresa (PHH – Programa Hidrosaki Hospitalar) com tratamentos preventivos e corretivos conforme análise dos técnicos enviados ao local, de forma minuciosa, respeitando-se as fases, sempre com o objetivo de combater as variadas pragas urbanas que habitam nestes ambientes, eliminando a proliferação de fungos, bactérias e microrganismos, para que não haja disseminação de doenças, e sim, uma vida saudável para os pacientes internados, familiares, médicos e funcionários do estabelecimento, evitando enormes prejuízos matérias e financeiros. Todos os controle são executados conforme as licenças e leis da ANVISA sem agredir o ecossistema e saúde de todos.

A Hidrosaki é uma controladora de pragas especializada na área hospitalar, prestando os seus serviços em diversos tipos de hospitais, conta com uma equipe treinada e experiente há mais de 10 anos no mercado.

Para maiores informações, entre em contato com a nossa equipe e agende uma visita conosco. Consulte-nos!

Locais de atendimento

Atendemos em toda capital de São Paulo - SP, e ABC, como, as cidades de São Caetano do Sul, Santo André e São Bernardo do Campo, Interiores e litorais de SP e demais Estados do Brasil, através de sistema via satélite instalados em nossos veículos, que possibilitam localizar o veículo que esteja mais próximo ao local para o pronto atendimento, agilizando o processo de envio da equipe técnica especializada.

Frota de veículos para atendimento

Conheça os demais serviços de controle de pragas

Solicite o seu Orçamento